sábado, 6 de fevereiro de 2016

Dona Berta 2012

Há dois anos atrás deixei enfeitçar-me pela colheita de 2010. como o dia era de festa não exitei em comprar novamente a colheita de 2012 que aqui vos apresento.

Feito a partir de Touriga Nacional, Tinta Barroca, Tinto Cão e Touriga Franca.

Aroma químico, preto e fumado.

Muito fino e perfumado, tem uma presença leve mas um persistente floral. Preto e torrado, autentica compota para barrar. Entranha-se e tem um equilíbrio brilhante.

Classificação:

Two years ago the 2010 vintage put a spell on me. On the day I bought this bottle it was new years eve, I did not though twice on bring it with me.

Made from a blend of Touriga Nacional, Tinta Barroca, Tinto Cão and Touriga Franca.

The aroma is chemical, dark, smoked and long.

What a finesse! Smoky, with a light floral persistence, dark with heavy and dense fruit jam that you could spread on the bread. It hydrates your soul with a brilliant balance.

Ratting:

Newton Johnson Albariño 2015

No dia em que tropecei nos vinhos de Anselmo Mendes, aqui na cidade do cabo e educava a lojista sobre o portfolio que estava na prateleira, eis que a senhora confessou que tinha um Alvarinho Sul-Africano da Newton Johnson, feito de … Albariño. Tendo estado outrora nas terras do produtor e ficado com a impressão que tudo andava próximo de um estilo cru, ao qual acresce o facto da casta dar-se mal fora do seu habitat natural, meti o vinho no saco para ver ao que vinha.

Tem um odor um pouco baço e simples. Só tem limão.

Para quem conhece a casta, sabe mantém as suas caracteristiscas básicas. Seco, arrepia e cola-se à carne. Tem limão, lima e tangerina. Que trio. Fresco, focado, afiado, só lhe falta a acidez cristalina. Termina limpo.

Classificação:


In the day I stumbled in Alselmo Mendes wines, here in Cape Town and I was lecturing the store manager about the wine portfolio, I was informed it just arrived a South African Alvarinho made from ... Albariño. I had been before on Newton Johnson and I found the wines character a little bit raw. On top of it, the grape does not goes well outside of its natural habitat, hence, I put the bottle in the bag in order to experience it.

It has a simple ans opaque aroma filled with lemon.

For those that are aware of the grape character, identifies that keeps the utterly characteristics. Dry, glues to the flesh. it have lemon, lime and mandarin. What a trio. Sharp and focused the only missing part is the fine and crisp acidity. Ends clean.

Ratting:

sábado, 23 de janeiro de 2016

Cistus Reserva Tinto 2011

De regresso à base do hemisfério Norte, tinha à minha espera este Cistus feito a partir de Tinta Roriz, Touriga Nacional e Touriga Franca.

Aromas a madeira fumada e frutos vermelhos.

Na boca sabe a compota de frutos vermelhos com amora e cereja, liberta um super balsâmico que faz corar de vergonha o Vicks Vaporub. Um tinto polivalente, perfeito para carnes assadas e bifes macios com 3 dedos de altura.

Classificação:

Nota: Garrafa oferecida pelo produtor. Mais informação em qvp.pt

When I returned to the North hemisphere base, it was waiting for me this Cistus, made from a blend of Tinta Roriz, Touriga Nacional and Touriga Franca.

Smoked oak and red fruit aromas in my nose.

This one tastes to red fruit jam, with plum and cherries in the mix, it sets free super balsamic vapours. Vicks Vaporub will be ashamed of. It is a red that is perfect for roasted meat, and 3 fingers tall beef filet.

Rating:

Note: Bottle sent by the producer. More information qvp.pt

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Pongrácz

Bebido infinitas vezes ao longo de 2015, este é talvez o melhor espumante Sul Africano relação qualidade / preço.

Feito de Pinot Noir e Chardonnay.

Limão no aroma e alguma fruta cozida escondida.

Muito fácil de beber, volumoso, estruturado, limonado, alguns frutos secos. Cola-se à boca. Viciante.

Classificação:

I dunk this one time and time again during 2015. For me, it is probably the best value for the money South African sparkling wine.

Made of Pinot Noir and Chardonnay.

Lemon and some hidden stewed fruit in the aromas.

Easy to drink, volume-full, structured, lemon zest, some dried fruits in the mix. It glues to the tongue and becomes highly addictive.

Ratting:

Boplaas the Chocolate 2010



Segunda investida naquele que parece ser o melhor produtor Sul Africano de Vinho do Porto falso.
 
Aroma a chocolate de leite no ar e muito figo.

Na boca revela figo, chocolate e amoras. Tem pouca doçura, não satura e nem usa falsos artifícios. Sofre do pecado capital de ser difuso e de não ter a complexidade exigida de um verdadeiro Vinho do Porto. Termina longo e a saber a raspa de chocolate.

Classificação:

Second charge on what it seems the best South African producer of fake Port Wine.

Aromas full of milk chocolate and figs.

In the mouth reveals figs, chocolate and blackberries. It is not very sweet, it does not saturate the tongue and it does nor use spells. It suffers from the capital sin of being diffuse and lacks typical Port Wine layered complexity. Ends long and tasting to chocolate buttons.

Rating:

Mellasat White Pinotage 2014

Experimentar um vinho branco feito a parir de castas tintas é sempre um desafio interessante. Este é feito de Pinotage.

Aromas a pêssego, bagas amarelas e melão.

Gordo e magro ao mesmo tempo. Tropical, com alguma nata e polpa fictícia. Parece um gelado com flor de sal em cima. É mais interessante a transformação química do que do que o sabor. No fim fica picante. Final longo e em turbilhão.

Classificação:

There is nothing like to taste a white wine made with a red grape. This one is made from Pinotage.

Peach, gooseberries and melon in the aroma.

It is fat and trim at the same time. Tropical character with some cream and some fictional fruit pulp. It resembles an ice cream with salt on top. It is lovely the chemical transformation, rather than the taste. In the end becomes spicy. Ends long like a hurricane.

Rating:

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Sijnn 2009

Algum dia tinha de chegar aqui. O produtor Sijnn plantou castas Portuguesas como a Touriga Nacional, Trincadeira e Tinta Roriz, porque um dia descobriu uma parcela que de alguma forma simulava aquilo que encontraram em Portugal há uns anos atrás. Apesar de já ter tido contacto com castas Portuguesas em vinhos Sul Africanos, que se revelou pouco animador, a primeira experiência com as castas portuguesas em lote (ainda está em falta aquele que é feito a partir de Touriga Nacional) revelar-se-ia uma autentica surpresa.

Feito a partir de Syrah, Mourvèdre, Touriga Nacional, Trincadeira e Cabernet Sauvignon.

Os aromas são negros. Madeira torrada, caixa de tabaco, ameixa, penetra pelo corpo adentro. Também há ginja.

Sedoso e explosivo. Cola-se à língua, muita ginja, alguma ameixa, madeira, tabaco e baunilha. Tudo muito bem empacotado. Rico, forte, rijo, apimentado e gordo.

Final longo, abaunilhado, quente e com pimenta. Nunca mais acaba.

Classificação:

One time I had to get here. Sijnn planted Portuguese grape varieties such as Touriga Nacional, Tinta Roriz and Trincadeira, because one day they discovered a plot of land similar to what they found in Portugal a few years ago. Despite having in the past contact with Portuguese grape varieties in South African wines that revealed a not so encouraging experience, here I bring you the first journey with Portuguese grape varieties blend - still missing one that is made from Touriga Nacional - that proved to be an authentic surprise.

Made from Syrah, Mourvèdre, Touriga Nacional, Trincadeira and Cabernet Sauvignon.

The aromas are black. Woody toast, tobacco box, plum, penetrates inside the body. There are also dark cherries.

Silky and explosive. Sticks in the tongue, lots of dark cherries, some plum, oak, tobacco and vanilla. Rich, strong, hard, spicy and fat.

Long warm finish with vanilla and pepper. It never ends.


Ratting:

Iona Pinot Noir Limited Edition 2012

O vale de Engin é o local onde nascem os melhores Pinot Noirs de Africa do Sul. O produtor Iona, que é um dos melhores exemplos do que se faz por esta região e do qual já vos tinha dado a conhecer o extraordinário One Man Band, regressa com o monocasta feito de Pinot Noir.

Aromas a tabaco e cereja.

Muito orgânico na boca, sente-se a terra a fugir de baixo dos pés. A madeira cheia de fumo entra pela boca adentro quanto estamos a aspirar o vinho.  Cereja seca e bagas vermelhas, picam as malvadas. O vinho parece mesmo deslavado, mas isto não é mau feitio. É carater.

Termina picante e ligeiramente seco.



Classificação:


Engin valley is the place which the best South African Pinot Noirs are born. Iona is one of the best producers that can bring to life this kind of wines, which I told you about it before related with the amazing One Man Band.

Tobacco and cherries aromas.

Super organic, you can fell the soil running away from your feet, smoked oak enters inside your mouth when we are hoovering the wine. Dried cherries and red berries that spike from the inside. The wine seems watery, but it is not a defect it is its character.

Ends spicy and slightly dry.

Ratting:

Idiom Viognier 2012

Para terminar a oferta da Idiom, tropecei na monocasta Viognier.

Aromas a ameixa amarela, ananás, alperce madurinho e mel. Que foco.

O vinho tem ondulação. Sal e fruta, fruta e sal. Dado à lambarice, cheio de rebuçado de ananás, ameixa amarela ultra madura, e alperce escondido. Podia ser um pouco menos açucarado.

Termina longo.

Classificação: ★★

To complete the Idiom portfolio, I stumbled in the Viognier single variety.

Aromas composed of yellow plum, pineapple, ripe apricot and honey. Focused and sharp.

This wine is full of waves. Salt and fruit, fruit and salt. Vicious and addictive, full of pineapple sweets, ripe yellow plum and hidden apricot. It could have a little bit less sugar.

Ends long.

Ratting: ★★

sábado, 28 de novembro de 2015

Ataraxia Chardonnay 2014

Do dia passado em Hermanus, resultou a descoberta do produtor Ataraxia, liderado por Kevin Grant que segue como princípio, não corrigir ou intervir demasiadamente no processo de produção.

Aromas a alperce, sal e um pouco de kiwi.

Na boca revela-se seco, salgado, com o alperce afiado na frente e um pouco de kiwi escondido. Simples, direto ao coração com alguma explosão de quando em vez.

Não é o Chardonnay tecnicamente perfeito que está à espera. É radical.

Classificação:★★

From the trip to Hermanus, resulted the discovery of Ataraxia, a project lead by Kevin Grant that follows the principle not to intervene to much in the wine making process.

Aromas with apricot, salt and kiwi.

In the mouth reveals dry, salty, with sharp apricot and hints of kiwi underneath. Simple, straight to the heart, with some flavor explosion in between.

This is not the typical Chardonnay. It is radical.

Ratting: ★★